Alcançando a liderança em acessibilidade
com Debra Padden e Christopher Soran, Tacoma Community College

Contexto do colégio: Acessível e econômico para todos

Situado em Puget Sound no estado de Washington, o Tacoma Community College (TCC) atende a mais de 11.000 alunos anualmente. Oferecemos diversos cursos de graduação, oportunidades de educação continuada e mais de 30 cursos técnicos e vocacionais. Em apoio à Visão estratégica do TCC por ambientes de aprendizagem mais equitativos e inclusivos, nosso eLearning Office prioriza o uso de conteúdo digital acessível e econômico. Por meio de nosso suporte técnico, do coordenador de Designer didático e Recursos Educacionais Abertos (OER) e de uma equipe multimídia, visamos oferecer a alunos e professores ferramentas de aprendizagem inovadoras e suporte de alta qualidade.

Metas para o Ally: Opções para participação

Antes do Ally, nossas ofertas de eLearning incluíam várias ferramentas digitais que davam aos alunos uma certa gama de opções e flexibilidade de como participar do conteúdo do curso, como a opção para ouvir o texto. Descobrimos que não apenas os alunos com necessidades especiais se beneficiavam do uso desses tipos de ferramentas, mas também muitos alunos de inglês e alunos viajantes. Além disso, também percebemos que havia algumas falhas na funcionalidade com nosso conjunto de ferramentas existente que limitavam seu impacto potencial sobre o sucesso da acessibilidade e dos alunos. Com o Ally, vimos um produto que poderia melhorar o acesso do aluno a uma variedade maior de formatos alternativos baixados diretamente dos arquivos ou módulos dos cursos e aumentar a conscientização do professor sobre o valor do conteúdo acessível para todos os alunos.

Com o Ally, vimos um produto que poderia melhorar o acesso do aluno a uma variedade maior de formatos alternativos direto dos arquivos dos cursos e aumentar a conscientização do professor sobre o valor do conteúdo acessível para todos os alunos.

Quando perguntamos sobre o Ally, descobrimos que o Washington State Board (SBCTC) também estava pensando em adotar o Ally para seus 34 colégios técnicos e da comunidade como parte de um compromisso de todo o estado com a Política de Tecnologia Acessível 2016. Com a acessibilidade se tornando mais do que uma prioridade, vimos o Ally como uma ferramenta para iniciar o diálogo com professores sobre a importância do conteúdo aberto, acessível e para nosso escritório de eLearning realizar algumas ações estratégicas para apoiar a faculdade para tornar seus cursos mais inclusivos.

Estratégia de implementação: Gamificação da acessibilidade

Para organizar nosso processo de revisão de curso e ajudar os professores a manter o controle de suas melhorias de acessibilidade, fizemos uma lista de verificação de acessibilidade. A lista incluía a formatação de conteúdo em HTML, a formatação do programa, a adição de legendas no conteúdo em vídeo e a verificação da acessibilidade de arquivos e documentos do curso usando o Ally. Em um esforço para ajudar professores com seu conteúdo, usamos o Ally para treinar nossa equipe de eLearning em como corrigir problemas, uma vez que alguns dos membros tinha uma experiência limitada com a criação de documentos acessíveis. Levando ao lançamento do Ally em todo o nosso campus, postamos avisos na página inicial do nosso ambiente Canvas, enviamos mensagens por e-mail e introduzimos o Ally em workshops.

Também queríamos incentivar nossos professores a participar e levar alguma diversão à nossa iniciativa de acessibilidade, então, pensamos: “Vamos gamificá-la!”

Também queríamos incentivar nossos professores a participar e levar alguma diversão à nossa iniciativa de acessibilidade, então, pensamos: “Vamos gamificá-la!” Atribuímos valores em pontos a cada um dos itens da lista de verificação, como 25 pontos por ter um programa acessível, 25 pontos por legendar todos os vídeos do curso ou 100 pontos por ter um curso completamente acessível. [Consulte “Estrutura de gamificação” para obter a lista completa] Nós premiamos os professores quando eles atingiam certo total de pontos e até mesmo criamos uma classificação no campus que exibia o total de pontos dos professores para inspirar uma competição amigável.

Avaliação e resultados: Professores motivados fazem melhorias

Por meio de um esforço colaborativo e comprometido em nosso campus, nosso relatório institucional mostra que nossa pontuação geral de acessibilidade aumentou 31 pontos em um único mês com a ajuda do Ally!

Quando lançamos o Ally no campus, os professores responderam positivamente aos indicadores, o que permitiu que eles tivessem, pela primeira vez, uma visão detalhada da acessibilidade do seu arquivo. Os indicadores motivaram os professores a buscar ajuda de nosso escritório com problemas que eles não poderiam resolver sozinhos e nós pudemos receber essas solicitações por causa dos treinamentos de nossa equipe e do tempo economizado com o relatório e os comentários do Ally. Vimos também que os professores geralmente gostaram e estavam motivados pelas classificações e pelos prêmios, o que pudemos moderar usando o Ally para determinar se os professores não tinham mais nenhum indicador vermelho ou laranja perto de seus arquivos de cursos ativos.

O Ally rapidamente se tornou essencial para como os professores desenvolvem seus cursos e como nosso escritório de eLearning oferece suporte a eles quando precisam de assistência. Ao ajudar a incentivar o diálogo sobre acessibilidade entre nossas equipes de eLearning e os professores, conseguimos usar o Ally inclusive para apoiar nossa iniciativa OER encorajando os professores a trocar seu conteúdo inacessível protegido por direitos autorais por conteúdo OER acessível e vinculando aos recursos de bancos de dados de bibliotecas acessíveis. Por meio de um esforço colaborativo e comprometido em nosso campus, nosso relatório institucional mostra que nossa pontuação geral de acessibilidade aumentou 31 pontos em um único mês com a ajuda do Ally!

Pérolas de sabedoria: Foco no impacto do aluno, torne-o divertido

Embora as exigências legais e as políticas estaduais possam levar os campi a tomar atitudes, o caminho para a inclusão não tem que ser assustador ou incerto para os professores. Focar nas diversas maneiras que o conteúdo acessível pode beneficiar a todos os alunos, como ao tornar os cursos mais acessíveis aos dispositivos móveis para os alunos que podem não ter acesso consistente a um computador, pode ajudar os professores a reconhecer o valor do conteúdo acessível para o sucesso do aluno e pode inspirá-los a ter uma abordagem mais proativa ao realizar melhorias. Combinando uma ferramenta como o Ally com as estruturas de suporte adequadas enquanto acrescentamos um pouco de diversão ao processo, podemos motivar e incentivar os professores a fazer do desenvolvimento inclusivo uma prioridade em seu ensino.