As Chaves da fonte de dados são rótulos compostos por cadeiras de caracteres alfanuméricas que permitem que diferentes tipos de dados de uma única fonte de dados sejam agrupados para que possam ser tratados em uma única operação. Usar Chaves da fonte de dados divide seus dados para otimizar os recursos do sistema e cumprir as regras de negócio.

As chaves da fonte de dados são criadas conforme necessário e podem ser salvas para uso futuro. Elas podem ser usadas de maneiras quase infinitas para classificar dados e associar dados a sistemas específicos para que os dados possam ser gerenciados visualmente no Blackboard Learn. As Chaves da fonte de dados são armazenadas na base de dados do Blackboard e mencionadas nos feeds de dados e nas configurações de integração.

As Chaves da fonte de dados funcionam junto com a integração do SIS para ajudar a gerenciar os dados depois de eles serem carregados para o Learn usando uma integração do SIS configurada para usar uma Chave de fonte de dados específica.


Práticas recomendadas da Chave da fonte de dados

Uma vez que as Chaves da fonte de dados destinam-se a habilitar a identificação granular e o gerenciamento de dados, vale a pena considerar como suas convenções de nomenclatura correspondem ao fluxo de dados da sua instituição e como você deseja dividir os dados em "pedaços" ou conjuntos e o ciclo de vida desses pedaços. Quanto maiores forem os conjuntos de dados gerais e mais tempo você os mantiver no Learn, mais importante será poder identificar partes almejadas dos dados.

As Chaves da fonte de dados podem ser usadas de várias maneiras para classificar os dados, mas aqui estão algumas dicas gerais para criar e aplicar as Chaves da fonte de dados aos dados:

  • Manter uma convenção de nomenclatura consistente para as Chaves da fonte de dados para evitar confusão quando for hora de modificar ou remover dados.
  • Evitar criar várias Chaves da fonte de dados para itens que permanecerão por um longo período (como Alunos ou Corpo docente). Fazer isso pode criar complicações ou problemas desnecessários.
  • Ao arquivar e remover cursos no fim de um semestre, é melhor desabilitá-los primeiro por um breve período antes de arquivá-los e removê-los do sistema. Isso dará um breve período para confirmar se eles foram arquivados com sucesso antes de removê-los e ajudará a prevenir a exclusão acidental de cursos que não tenham sido preservados com segurança, se desejado.

Ao atribuir fontes de dados a categorias da comunidade e do curso, categorias filho devem pertencer à mesma fonte de dados que a categoria pai quando a árvore de categoria for inserida. Se as categorias filho não aparecerem na mesma fonte de dados que a pai, a relação de filho-pai não será mantida.

Convenções de nomenclatura

Para garantir a aplicação lógica e a transferência de conhecimento, crie um sistema para dar nomes às Chaves da fonte de dados para que elas possam ser facilmente identificadas. A seguinte convenção de nomenclatura representa uma maneira relativamente simples de dividir os conjuntos de dados para habilitar os dois fluxos de trabalho mais comuns.

Caracteres legais para nomes da Fonte de dados

As chaves da fonte de dados devem consistir apenas nas letras A–Z, nos números 0–9, pontos finais e sublinhados (_).

ID da fonte de dados

Uma ID simples deve ser atribuída ao sistema de origem, por exemplo, SIS para um sistema de informações sobre alunos ou HRMS para um sistema de gerenciamento de recursos humanos. Ao combinar essa ID à ID de cada tipo de conjunto, um esquema de nomenclatura flexível pode ser derivado para dar suporte a fluxos de trabalho típicos.

Conjuntos associados a Tipo

Conjuntos associados a Tipo incluem um componente derivado do tipo de feed. Por exemplo, se a cadeia de caracteres “Curso” for usada para indicar “Curso”, essa cadeia de caracteres será incluída para indicar o tipo de conjunto de dados, por exemplo, SIS.COURSE.

Conjuntos associados a Período

Conjuntos associados a Período são usados para agrupar dados relacionados, mas que não devem se sobrepor a períodos na base de dados. Por exemplo, pode ser desejável inserir os cursos de primavera na base de dados enquanto os cursos de outono ainda estão ativos. Usar uma chave que diferencia os dois conjuntos com base no período impedirá que operações de Instantâneo em um conjunto interfiram nos dados do outro. Por exemplo, SIS.SPRING2000 e SIS.FALL2000.

Conjuntos associados a tipo e período

Talvez você queira usar uma combinação de identificação associada a tipo e a período. O exemplo mais comum é a inscrição do aluno em uma instituição com um calendário acadêmico – a inscrição é associada a um semestre específico, por exemplo, SIS.COURSE.FALL2000.

Exemplo: uma escola deseja processar listas de alunos e instrutores, listagens de seções de curso e inscrições ao longo de vários semestres. Em geral, de semestre a semestre, as listas de alunos e instrutores incluirão o mesmo conjunto de dados básicos. Porém, os cursos e as inscrições precisarão ser processados semestralmente. Ou seja, de semestre a semestre, equipe e alunos ativos serão tratados como um único conjunto lógico (com associação fluida), enquanto cursos e inscrições serão tratados como conjuntos logicamente distintos que não se cruzam de semestre a semestre.

Uma solução é usar chaves associadas a tipo para alunos e instrutores e chaves associadas a tipo e período para cursos e inscrição. É criada uma Chave da fonte de dados chamada SIS.USERS que é usada para identificar o conjunto de usuários ao longo do tempo. Assim, todos os alunos e instrutores ativos podem ser processados como um único conjunto de dados.

Chaves da fonte de dados separadas são criadas para cursos, inscrição, instrutores e alunos, que são associadas tanto a tipo quanto a período:

SIS.COURSE.FALL2010

SIS.COURSE.SPRING2011

Assim, todos os feeds de usuário podem usar a Chave da fonte de dados SIS.USERS, enquanto cursos e inscrição podem usar as chaves SIS.COURSE.*, permitindo que buscas e visualização de dados usando os conjuntos de dados descritos.

Como outro exemplo, diferentes conjuntos podem ser aplicados a diferentes usuários:

MEDSIS.USERS

SIS.USERS

ALUMNI.USERS


Gerenciamento de DSK

Crie DSKs usando a página Administração de fonte de dados

  1. No Painel do administrador, na seção Building Blocks, selecione Integração de dados.
  2. Selecione Fontes de dados > Criar fonte de dados.
  3. Digite uma chave exclusiva e, opcionalmente, adicione uma descrição.
  4. Selecione Enviar.

Gerenciar registros

Todo o gerenciamento de Chaves da fonte de dados e registros associados é possível usando a página Administração da fonte de dados.

Visualizar registros associados

Depois de ter criado uma Chave da fonte de dados, usado uma integração para preencher os dados no Learn e associado uma Chave da fonte de dados àqueles dados, vá para a página de gerenciamento Chave da fonte de dados. No Painel do administrador, na seção Building Blocks, selecione Integração de dados.

Selecione Fontes de dados e então localize a Chave da fonte de dados. É exibida uma janela contendo uma lista de objetos do Learn e suas contagens de status (Habilitado ou Desabilitado).

Desabilitar registros

Depois de usar uma integração para criar objetos no Learn e associá-los a uma Chave da fonte de dados, é possível escolher desabilitar os objetos quando o acesso aos objetos compatíveis com aqueles dados não é mais necessário. Desabilitar um objeto deixa seus dados no Learn enquanto elimina o acesso ao objeto. Por exemplo, uma inscrição pode ser desabilitada e os dados para a inscrição (e dados da atividade relacionada) podem ser mantidos no Learn, mas o usuário ao qual os dados estão associados pode não ter mais acesso ao curso ou à comunidade. De modo similar, um usuário que tenha sido desabilitado não terá mais acesso ao Learn e um curso desabilitado não estará mais disponível a alunos ou ao instrutor, embora, em ambos os casos, os dados sejam retidos no Learn. Se o usuário ou o curso for reabilitado, ele aparecerá como se nada tivesse mudado.

Para desabilitar objetos, vá para o Painel do administrador. Na seção Building Blocks, selecione Integração de dados > fontes de dados. Abra o menu para a Chave da fonte de dados que você quer editar e selecione Desabilitar.

Remover registros

Depois de usar uma integração para criar objetos no Learn e associá-los a uma Chave da fonte de dados, é possível escolher remover os objetos quando o acesso aos objetos e dados associados não for mais necessário. Remover um objeto retira totalmente seus dados do Learn, liberando recursos para uso futuro.

É preciso desabilitar um registro para removê-lo.

Vá para a página de gerenciamento da Chave da fonte de dados no Painel do administrador. Na seção Building Blocks, selecione Integração de dados > Fontes de dados. Abra o menu para a Chave da fonte de dados que você quer remover e selecione Remover.

Excluir DSKs

Para excluir uma Chave da fonte de dados, vá para o Painel do administrador. Na seção Building Blocks, selecione Integração de dados. Localize a Chave da fonte de dados que deseja excluir, abra o respectivo menu e selecione Excluir.

Será possível excluir um DSK apenas se não houver registros associados. Se houver registros associados, primeiro desabilite e remova tais registros como descrito neste tópico.


Existem caracteres ilegais para nomes da Chave da fonte de dados?

Sim. As chaves da fonte de dados devem consistir apenas nas letras A–Z, nos números 0–9, pontos finais e sublinhados (_).

Os nomes da Chave da fonte de dados diferenciam maiúsculas e minúsculas?

Não. Os nomes da Chave da fonte de dados não diferenciam maiúsculas e minúsculas.


Saiba mais

Visão geral da estrutura SIS

Instalação, configuração e gerenciamento de tópicos de integração para tipos de integração específicos